Estudos recentes comprovam que, além dos benefícios já conhecidos no metabolismo do cálcio, na formação óssea e na interação com o sistema imunológico, o consumo de vitamina D e seus pró-hormônios tem efeitos diretos no sistema imunológico e na melhoria da saúde de pacientes com doenças crônicas, melhorando a função vascular.

O receptor de vitamina D tem ampla expressão em tecidos corporais como cérebro, coração, pele, intestino, gônadas, próstata, mamas, rins, paratireoides e células imunológicas. Sua forma ativa tem efeitos imunomoduladores sobre as células do sistema imunológico, principalmente linfócitos T e na produção e ação de diversas citosinas:

  • Ativa as células Treg CD4
  • Influencia no nível de citocinas IL-7, crítica na resposta inflamatória
  • Melhora a função endotelial vasomotora e secretória

Os efeitos de doses altas de vitamina D no sistema imunológico:

** Influenciam a imunidade mediada

Segundo o estudo “Vitamin D Supplementation Modulates T Cell-Mediated Immunity in Humans: Results from a Randomized Control Trial”, publicado em fevereiro de 2016, o tratamento com 4.000UI de vitamina D3 reduziu a liberação de ATP nas células CD4, o que não aconteceu de forma significativa com o uso de 400UI.

Outros estudos demonstram que:

** Aumentam significativamente a %Treg CD4

As doses altas de vitamina D3 em pessoas saudáveis têm efeito substancial no organismo, fortalecendo o sistema imunológico.

** Ajudam a regular a função renal de pacientes transplantados

A falta de vitamina D em pacientes com transplante renal está associada à redução da concentração de 1,25(OH)2D e ao aumento do hormônio paratireoide. Em compensação, a ingestão de doses altas da vitamina melhora os índices sérico e do hormônio no corpo.

** Melhoram a resposta inflamatória de pacientes com esclerose múltipla

A vitamina D age como imunomodulador na esclerose múltipla por meio de mecanismos de secreção de citosinas. Ela altera o nível de IL-7, que é crítica na resposta inflamatória.

** Regulam a função vascular em pacientes com doença renal

Altas doses de vitamina D contribuem para a melhora da função endotelial vasomotora e secretória em pacientes com doença renal crônica, sem efeitos adversos na rigidez arterial e nível sérico de cálcio.

As recomendações das autoridades de saúde em relação às dosagens seguras de vitamina D para melhorar os níveis séricos diferem entre vários países.

Há instituições conservadoras que consideram a suplementação de até 4.000 UI segura, enquanto a sociedade de endocrinologia considera o nível máximo tolerado diariamente como 10.000UI. Contudo, vale destacar que a maioria dos casos de intoxicação por excesso de vitamina D tem sido atribuídos ao consumo diário prolongado e não intencional acima de 40.000UI.

A dosagem ideal para cada pessoa e cada caso deve ser prescrita por um médico ou farmacêutico, garantindo a dosagem segura e efetiva para cada um.

Caso queira mais informações e referências bibliográficas, fale com a Pró-Manipulação, estamos prontos para lhe ajudar e enviar materiais complementares.